Fechando Amsterdam e Abrindo Praga

pelo viajante , em

 

Amsterdam, Praga, 27 de Junho de 2012

O dia 27 foi bem mais leve que o dia 26 em termos de atividades… Afinal, tínhamos um voo no início da noite para a capital da República Tcheca, Praga.

Openbare Bibliotheek

Check-out feito, malas no luggage room, fomos de tram até a Centraal e caminhamos em direção a moderna biblioteca pública de Amsterdam, a Openbare Bibliotheek. Na primeira vez que viemos em 2010, essa biblioteca nos salvou no quesito acesso a internet. Naquele tempo, tínhamos que pagar pra acessar internet no albergue e a biblioteca oferecia dezenas de computadores com acesso gratuito a grande rede.

Voltando pra 2012, Aline e eu fomos surpreendidos ao ouvir uma musica do brazuca Caetano Veloso tocando no andar destinado a áudio e vídeo da biblioteca. Gravamos um vídeo do momento.

Gastamos um bom tempo lá dentro, folheando alguns livros e curtindo a calmaria e conforto que a biblioteca oferece.

Openbare Bibliotheek Amsterdam

Openbare Bibliotheek Amsterdam

Pessoal no facebook ao invés de fazer pesquisa…rs

esses sim estudando…rs

Openbare Bibliotheek Amsterdam

Metrô de Amsterdam

Na saída, pela primeira vez nas duas vezes que estive em Amsterdam, usei o metro da cidade. O tram de lá normalmente atendia a tudo que queríamos fazer, mas decidimos usar um transporte diferente. O bilhete do transporte publico é único permitindo o uso do tram, do metrô e das linhas de ônibus… então, não pagamos nada a mais por isso…

Metro Amsterdam

Metro Amsterdam

Território abaixo do nível do mar

Ao entrar no metro fiquei pensando em como os holandeses foram a frente do tempo no campo da engenharia civil com essa necessidade de se proteger das águas… o país tem 30% de seu território abaixo do nível do mar… recuperou esse território através dos séculos se utilizando de barreiras, diques, os moinhos que drenavam a terra para possibilitar o cultivo e etc… Com essas dificuldade todas eles ainda foram mais pra baixo ainda fazendo linhas de metrô!

Tenho uma admiração pessoal por isso…. comprei até um livrinho lá sobre a história deles pra aprender mais sobre esse assunto…

No albergue tem um quadro interessante mostrando, por exemplo, que o aeroporto está a 4 metros abaixo do nível do mar. A  recepção e os dois primeiros andares do albergue também estariam sob as águas não fossem as proteções construídas…

O mesmo mar que trouxe problemas, trouxe muitas glórias para o país que se destacou no comércio marítimo e colonizou terras nas Américas, Ásia e Africa.

Os holandeses chegaram inclusive a ocupar territórios no nordeste brasileiro mas acabou perdendo para os “portugas”.

quadro albergue mostrando nível do mar

Grande painel com antigas embarcações holandesas próximo a Centraal

Mercado das Pulgas da Waterlooplein

Bom, voltando o foco, fomos pra waterlooplein pra ver uma feirinha que avistamos no dia do passeio de barco pelos canais…. nada muito diferente de uma feira tradicional como você conhece… roupas, livros, discos de vinil, ads antigos, chocolates, lenços, casacos, sapatos e etc… também vimos muitas bolsas e roupas estampadas com o rosto da Moça com Brinco de Pérola, famoso quadro do holandês Johannes Vermeer. Tem até um bom filme de mesmo nome que a Scarlett Johansson protagonizou.

Uniformes de temporadas passadas do Ajax, time local, também estavam a mostra para venda!

mercado das pulgas de waterlooplein

mercado das pulgas de waterlooplein

mercado das pulgas de waterlooplein

moça com brinco de pérola, quadro holandês

moça com brinco de pérola, quadro holandês

Ajax patrocinado pelo ABN antigo Amsterdamsche Bank

Partida pro aeroporto,

Almoçamos na Dam e voltamos pro albergue pra pegar as malas e ir pro aeroporto. No caminho, vi novamente um taxi de nova York na rua… tinha visto o folclórico amarelinho outro dia e achei que estava tendo uma miragem…. dessa vez consegui até fotografá-lo ao lado de um tram de Amsterdam pra vocês não acharem que estou viajando… rsrsrs

NYC taxi flagrado rodando em Amsterdam

taí o bonde que não me deixa mentir…rs

Acidente

Para chegar ao schiphol pegamos um tram com as malas que nos deixaria na Amsterdam Centraal de onde pegaríamos um trem pro aeroporto. Bom, o tram que pegamos nunca chegou na Centraal pois um turista havia sido atropelado por um outro tram ou uma bicicleta… o fato eh que foi em cima dos trilhos, impedindo a circulação de carros e bondes…. a sorte é que não estávamos muito longe da estação… tivemos que ir andando com as malas…. espero que o cara tenha ficado bem…

Acidente fez parar os trams na região da Amsterdam Centraal

Acidente fez parar os trams na região da Amsterdam Centraal

Acidente fez parar os trams na região da Amsterdam Centraal

Acidente fez parar os trams na região da Amsterdam Centraal

Easyjet, Schiphol,

Já no aeroporto, a companhia que faria nosso voo era a easyjet… low cost britânica que tenta vender sempre um adicional pra vc… já na fila do checkin uma confusão de gente fazendo fila tripla faltando pouco tempo pro voo… se vc quisesse ir pra uma fila de checkin priorizado teria que pagar uma razoável quantia… coisas que a easyjet faz….

esperando a galera subir… 🙂

Chegada em Praga

Confusões a parte o voo foi tranquilho… a maior parte dele é em espaço aéreo alemão, onde estava chovendo bastante. Chegando no aeroporto de Praga (Ruzyně), pegamos o ônibus 119 que deixa na estação “Dejvická”, última estação da linha A. De lá transferimos para a linha C e descemos na I.P. Pavlova, onde se concentram alguns hotéis, inclusive o Ibis onde ficamos (pela segunda vez na história da Europa eu não fiquei em albergue e sim em hotel… rs)

O detalhe desse percurso aeroporto -> hotel foi o seguinte: Não pagamos nada!

O ticket do ônibus 119 serve para o metro. Só que, vendo o volume de gente recém chegada ao aeroporto que estava enfileirando para comprar o ticket do motorista, ele mesmo pediu para que o pessoal entrasse pela porta do meio e que depois comprasse o ticket na estação do metrô (parada final do ônibus).

Entramos com nossas malas pela porta do meio e, chegando na estação de metro, para nossa surpresa, não havia mais agentes vendendo tickets na estação por causa do horário.

Era possível comprar tickets nas maquininhas mas essas só aceitavam moedas de coroas tchecas… coisa que ainda não tínhamos ….

resultado: descemos para a plataforma (não existem catracas) e seguimos a nossa viagem normalmente até o hotel preocupados de sermos pegos por algum agente de fiscalização do metrô.

Quero aqui esclarecer que não fizemos por mal… simplesmente nos faltou a oportunidade de comprar… vimos que muitas pessoas que vieram do aeroporto conosco se viram nessa mesma situação…. no dia seguinte compramos o ticket válido por 3 dias e usamos o transporte normalmente… bondes e metrô.

Bom, amanhã mais historias de Praga!

Abcs

Renato Vieira

Veja também:


  Categorias Amsterdã, Praga

  Palavras-chave ,

Veja também...

  voltar à página inicial