Freeport, Belém, Baixa/Chiado

pelo viajante , em

 

24/07,
Acordamos com a palavra “COMPRAS” na cabeça… nos falaram de um Shopping Outlet do outro lado da ponte, na região de Alcochete, 20 minutos do centro de Lisboa. E como soubemos que em Lisboa é tudo muito barato, imaginamos que o Outlet fosse estar quase dando as coisas… heheheh. Chegamos lá e não era bem assim. Lojas de grandes marcas seguiam aquele padrãozinho, que a gente tá acostumado a ver até nos outlets do Brasil. Numa loja da Adidas, camisa de 35 por 20 euros (de R$ 82 por R$ 60), e assim por diante. Nem é tão barato, mas vale sim a pena. Numa loja chamada Lefties (tipo uma C&A eu acho), achamos uma boa calça jeans (qualidade do nível de uma Taco ou até melhor) por 10 euros!!! Tênis também eram mais baratos que a média… acabamos nem comprando muito, só aquilo mesmo absurdamente barato ou algo que já tinhamos deixado pra comprar em Lisboa.

Do Freeport voltamos e almoçamos um belo omelete preparado na cozinha do albergue, com ingredientes “de gordinho” comprados no baratíssimo supermercado Pingo Doce. Foi tipo 2 euros pra cada um e comemos muito bem.

Em seguida fomos à Belém, de Metro até a estação Cais do Sodré, e de Eléctrico 15 (bonde ou tram) até o Mosteiro dos Jerônimos. Lisboa ainda utiliza muito o bonde… vê-se os trilhos espalhados por toda a cidade e volta e meia ouve-se as sinaleiras tocando. Muitos dos bondes são daqueles articulados, com cara de trem bala, modernos e confortáveis… mas cuidadosamente mantiveram o charme dos bondes antigos, feitos de madeira e bem conservados… muitos ainda circulam por lá.

 

Em Belém vimos só por fora o Mosteiro dos Jerônimos. O ingresso era caro e nos disseram que era “oco” por dentro.

Dali atravessamos a rua e vimos o Padrão dos Descobrimentos, monumento às margens do Rio Tejo, em memória aos desbravadores dos mares de séculos passados. Não subimos porque nem é muito alto, e talvez a vista não fosse tão boa.

 

 

 

 

 

 

Andamos mais um pouquinho pela beira do rio e chegamos à Torre de Belém, pequena e charmosa fortaleza (nos tempos passados) construida para protejer a cidade de possíveis invasões pelo rio. Pena que não pudemos entrar, havia fechado 10 minutos antes da gente chegar… justamente onde queríamos, não pudemos. Mas valeu o passeio… o clima ajudou muito nesse trio de dias em Lisboa, tiramos belas fotos com o céu muito azul!

 

 

Na volta saltamos no Baixa-Chiado e demos um en passant pelo centenário café “A Brasileira”, tradicional e famoso, já foi o reduto de geniais escritores como Fernando Pessoa… tem uma estátua dele lá, inclusive.

 

A noite foi de rearrumar a mala, para evitar problemas com a querida easyJet. Sairíamos no dia seguinte às 5:00 para pegar o vôo as 7:30.

Veja também:


  Categorias Lisboa

  Palavras-chave , ,

Veja também...

  voltar à página inicial