Contos de viagem, dicas, vitórias e derrotas

 
 

Nossa (quase) visita ao Musée d’Orsay

pelo mochileiro , em

 

Quantos dias são suficientes para aproveitar Paris em uma viagem de férias? Essa é uma pergunta difícil de responder. Diria que, se você está indo pela primeira vez, deveria ficar pelo menos 1 semana. Se puder ficar mais, ótimo! Sempre haverá coisas pra fazer e para ver! Se ficar menos e se encantar com a cidade, com certeza antes de ir embora já estará imaginando sua volta, elaborando mentalmente a lista do que fará da próxima vez.

Somando os dias das minhas três passagens anteriores pela cidade, já tinha um total de 30 dias turistando por Paris! Ainda assim, para cada item riscado da lista de coisas que eu gostaria de fazer na cidade, sempre surgiam outros dois novos itens! É como enxugar gelo, sabe?! hehe

Por exemplo, eu ainda não tinha ido no Musée D’Orsay, um dos mais famosos de Paris, onde estão abrigadas importantes obras de ícones como Van Gogh, Monet, Renoir e etc.

Nessa viagem, colocamos o Musée D’Orsay no roteiro mas só iríamos lá caso estivesse chovendo. Isso porque era a primeira vez da Bea e da Amanda e tínhamos que aproveitar os dias sem chuva pra “ver” Paris já que nessa época do ano é normal a ocorrência de dias molhados.

Paris, 25 de Novembro de 2017

O dia 25/11 começou com chuva. Propício para irmos a um museu. O primeiro da fila na nossa lista de “caso chova” era o Musée D’Orsay. No dia mesmo Bea fez um sucinto e eficiente trabalho de “Introdução de Van Gogoh a uma criança de 3 anos” com a Amandinha. Foi algo do tipo: “Vamos no museu ver quadros de um pintor talentoso e maluquinho que gostava da cor amarela, gostava de flores e havia cortado parte de sua própria orelha.” Pronto. Amanda achou engraçado e não esqueceu mais. Saímos do apê e pegamos o metrô rumo ao Musée D’Orsay.

Bea e eu metrô Notre-Dame-de-Lorette a caminho do D’Orsay

Chegando no Musée D’Orsay fomos surpreendidos por uma fila imensa na bilheteria que fica na lateral do histórico prédio que já foi uma estação de trem. Parece que a chuva fez com que muita gente tivesse a mesma ideia.

Um tanto quanto desolados, ficamos ali uns minutos, ponderando se valeria a pena ficar naquela fila quilométrica por uma hora e depois ter que ver as obras correndo. Digo correndo pois tínhamos passeio de barco pelo Sena já agendado e pago para o meio da tarde…

No final acabamos optando por não entrar. Ficou a lição de, mesmo em baixa temporada, é bom reservar/comprar o ticket via website para evitar as longas filas. Dessa vez, teríamos que nos contentar com umas fotinhos do lado de fora mesmo.

Fachada principal do Musée D’Orsay (clique para ver movimento)

 

Na frente do Musée D’Orsay e de costas para o Rio Sena

Ainda tem bastante coisa para falar sobre esse dia. Continuo no próximo post.

Abcs

Renato Vieira


Categorias: Paris

Palavras-chave: ,