Chocolates Suíços: Visita à Maison Cailler

pelo viajante , em

 

Recentemente escrevi sobre os chocolates suíços que fizeram parte do meu dia-a-dia durante minha viagem pelo país. Na ocasião prometi que falaria um pouco mais sobre o famoso chocolate produzido na Suíça e vou cumprir minha palavra nesse post.

Minha ideia é mostrar um pouco da Maison Cailler, uma espécie de fábrica-museu-loja de chocolate que fica em Broc, um pequeno vilarejo próximo a Gruyères. Visitei a Maison Cailler no início da minha jornada pela Suíça, enquanto ainda estava em Grindelwald.

A Cailler foi a primeira fabricante do hoje aclamado chocolate suíço! Ela foi criada por François-Louis Cailler e começou suas atividades 1825. Mais de 100 anos depois, em 1929, a Cailler se tornou membro do gigante conglomerado Nestlé que por sinal também é suíço.

O tour dentro da Maison Cailler custa 10 francos suíços. Eu já estava entregando a nota para a moça do caixa quando lembrei que o Swiss Pass dá direito a entrada gratuita em praticamente todos os museus do país. Perguntei e foi isso mesmo. Acabei entrando de graça.

Os visitantes são divididos em várias turmas que tem números e idiomas diferentes. Vi que tinham grupos para quem falava alemão, chinês, francês, italiano e inglês. Outra curiosidade é que os grupos recebiam nomes de importantes chocolates da Cailler e Nestlé. O nome do meu grupo, por exemplo, era Frigor e o idioma inglês. Tinha uma turma chamada Galak e outra Chokito! rs

Não existe uma pessoa guiando o tour e eles também não dão aqueles aparelhinhos de áudio chatos que a gente tem que ficar segurando e apertando botão. No tour da Maison Cailler a história do chocolate e da empresa é contada através de áudio ambiente, imagens e cenários. Ao final de cada parte, uma porta se abre para a próxima fase da história. Eles falam desde a tradição Azteca de tomar bebidas feitas de cacau, passando pela chagada do fruto à Europa, a fundação da Cailler, junção com a Nestlé e etc. Banners comerciais antigos dos produtos Cailler e Nestlé são expostos por todo o percurso.

Há pouco maquinário de confecção de chocolate exposto para o público durante o tour. Em compensação há bastante informação sobre o processo de fabricação, matérias primas, ingredientes, estudos sobre os efeitos do chocolate e curiosidades sobre a guloseima.

Também tirei fotos de cartazes que achei bastante interessantes. O primeiro fala da verificação matinal feita pelos especialistas para controle de qualidade do chocolate. Achei maneiro que eles destacam que uma das partes primordiais desse controle é a própria degustação! rs

Outro cartaz contava que os suíços comem em média 12 kg de chocolate por ano e faz associações entre o consumo de chocolate e o consequente alívio do estresse e sensação de felicidade e satisfação.

IMG_0792 (2)

No outro post que fiz sobre chocolate suíço comentei que muitos desses produtos misturam chocolate com creme de avelã ou com avelãs inteiras mesmo. Na fábrica da Cailler encontrei um sacão cheio de avelãs já sem casca prontas pra serem misturadas aos chocolates. O pessoal estava metendo o “mãozão” e comendo as avelãs e eu não fiz diferente! rs Outro cartaz falava que a região de Roma, na Itália, produz ótimas avelãs. O cartaz também contava os benefícios da avelã para a circulação do sangue, informando também sobre sua riqueza em vitaminas do complexo B e exaltando a deliciosa mistura de seu aroma com o chocolate!

O cacau, ingrediente mais básico do chocolate, também recebem destaque durante o passeio. Os cartazes contam que o cacau é típico das regiões úmidas equatoriais. Também falam do Forastero, um tipo de cacau encontrado em Gana que é um dos mais usados para produção do chocolate em todo mundo.

Pouco antes do fim do percurso, pequenos bombons Cailler saíam da máquina e reabasteciam uma bandeja que ficava a disposição dos visitantes. O bombom era delicioso mas muito pequeno. Tive que comer vários pra ficar legal! rs

No corredor final, uma parede inteira com mensagens respondendo a seguinte pergunta: “Pra você, qual o melhor momento pra comer chocolate?” Havia respostas de pessoas dos mais diversos cantos do mundo, nas mais diversas línguas. Deixei o meu recado também! rs

Quando tudo parecia acabado, eis que surge a maior surpresa e melhor parte do passeio. Degustação de variados chocolates da Cailler e Nestlé. Tinha Frigor, Ambassador, Cailler ao leite, Cailler com avelãs etc, etc e etc. Pra minha surpresa até Galak tinha e o gosto era sim muito diferente do Galak que temos aqui. Bem mais consistente lembrando um pouco o gosto do Galak de antigamente. Nem preciso dizer que comi pacas. Rodei vagarosamente o mesão experimentando os deliciosos chocolates!

Assim terminou o literalmente delicioso passeio pela Maison Cailler. Nunca tinha comido tamanha variedade de chocolates de qualidade em um tão curto espaço de tempo! 🙂 De quebra ainda aprendi um pouco sobre a história dessa guloseima tão amada em todo mundo!

É isso pessoal! Até o próximo post!

Abcs

Renato Vieira

Veja também:


  voltar à página inicial