Contos de viagem, dicas, vitórias e derrotas

 
 

Copenhague – parte 1: uma grande pequena cidade

pelo mochileiro , em

 

Copenhague, Copenhagen, København. Uma grande pequena cidade. Assim pude definir a capital da Dinamarca. Como qualquer capital, é agitada com pessoas para lá e para cá com seus afazeres se misturando aos turistas. Ótima infraestrutura para bicicletas, com sistema público de aluguel, milhares de bicicletários por toda a cidade, malha cicloviária muito desenvolvida e um sistema extremamente organizado. Tudo contribuindo para um tráfego de carros bem tranquilo. Assim é a Copenhague – pelo menos aquela que os turistas veem.

Bicicletas no Nyhavn - Copenhague num dia de frio e neblina

Bikes no Nyhavn

Apesar de fazer parte da União Europeia, a Dinamarca é um país opt-out (pesquise por derrogações), ou seja, escolheu permanecer de fora de alguns tratados da UE com algumas consequências. Assim mantem sua economia independente e sua própria moeda, a Coroa Dinamarquesa (DKK). Atualmente 1 DKK é igual a aproximadamente R$ 0,50.

Nota de 100 coroas dinamarquesas

100 DKK

Nyhavn – que significa porto novo, é o ponto de partida da cidade, portanto, procure se hospedar na região. É um lindo cartão postal e faz com que a cidade ganhe a alcunha de Amsterdã do Norte.

Nyhavn com seu canal e suas casinhas coloridas

Amsterdã do Norte. Não é?

 

Eu fiquei no Generators Hostel e particularmente recomendo. É um albergue relativamente grande com excelente estrutura, limpo, ótimos banheiros e atmosfera bem propicia à socialização, já que possui um bar (aberto inclusive para não-hospedes) e uma boa área comum com mesa de sinuca, redes de deitar, vários sofás e televisões.

Ainda sobre o Nyhavn, beirando o canal encontramos vários restaurantes com preços aceitáveis, na casa de 200 DKK por pessoa. Ok, não é compatível com o bolso de muito mochileiro, por isso falo agora sobre o lugar que mais gostei: o Papirøen (Papirooen), um mercado de street food com opções de todas as partes do mundo (inclusive churrasco brasileiro) a preços acessíveis. Alimenta-se bem pagando entre 40 e 80 DKK.

muitos restaurantes na beira do canal do Nyhavn

muitos restaurantes na beira do canal do Nyhavn

 

 

Entrada do Papirøen

Entrada do Papirøen

Papirooen por dentro

Papirooen por dentro

 

Pertinho dali está Casa de Ópera (Opera House – Operaen på Holmen), uma construção de impacto na paisagem portuária. Não assisti a nenhum espetáculo ou concerto, mas só uma passada na frente já valeu a pena. PS: Não estranhem a neblina… esse dia estava beirando zero grau.

Inderhavnsbroen - A ponte para bicicletas

Inderhavnsbroen – A ponte para bicicletas

Região do porto debaixo de muita neblina

Opera House debaixo de muita neblina

Opera House – Operaen

 

Seguindo a orla, passamos pela belíssima Igreja Anglicana St. Alban’s Church, de estilo neogótico. Logo adiante está o Kastellet, uma antiga fortificação em formato de estrela, bem bacana de se visitar.

Igreja Anglicana de estilo neo-gótico

a belíssima St. Alban’s Church

Lago do Kastellet

Kastellet

Laguinho no meio das pernas da estrela - Kastellet

Kastellet

Entrada do Kastellet

Kastellet

Kastellet - uma antiga fortificação em formato de estrela

Kastellet

 

Mas não acabou por aqui… continua na próxima semana!