Despedida de Berna e dos amigos

pelo viajante , em

 

Berna, 4 de Março de Março de 2010

Durante o café da manhã já percebemos que seria ruim ir à Interlaken. Da janela da sala do Michael, víamos a neve fina caindo sobre Berna. Assim como a menina do centro de informações da Bern Bahnhof já havia nos alertado, imaginamos que a visibilidade em Interlaken não estaria muito boa.

Com isso, saímos pra mais uma volta na cidadezinha. Passamos pelo Bärengraben que é um miniparque, na beira do Rio Aere, onde ficam alguns ursos que fazem a alegria dos turistas. Tem um vídeo em alta definição aqui. Depois dos ursos, entramos pra fazer um lanchinho no restaurante-cervejaria Altes Tramdepot, que fica bem ao lado do Bärengraben.

Urso, símbolo da cidade de Berna, no Bärengraben

Urso, símbolo da cidade de Berna, no Bärengraben

Lanchinho feito, voltamos pro centrinho e, seguindo sugestão do Michael, reservamos uma mesa para  jantar num restaurante tradicional de Berna, especializado em cozinha suíça, chamado Zunft zu Webern. Esse restaurante fica numa das charmosas passagens cobertas do centro medieval da cidade, mais especificamente na rua Gerechtigkeitsgasse. Reservamos cinco lugares. Além do Gustavo, Michael, Cristina e eu também virá a Lena, irmã do Michael.

Como já tínhamos andado bastante, Michael nos levou no Cinema Splendid, onde ele trabalha, e arrumou ingressos gratuitos pra gente assistir uma sessão de “Invictus” que é um excelente filme protagonizado por Morgan Freeman e Matt Damon. Esse longa conta a história do envolvimento e influência de Nelson Mandela no título da Copa do Mundo de Rugby de 1995 onde a Africa do Sul sagrou-se campeã em solo nacional.

Nosso ingresso, Invictus, CineSplendid em Berna

O áudio do filme era original, inglês, e rodavam duas legendas: uma em alemão e outra em francês. Esses dois idiomas mais o italiano e romanche formam as quatro línguas oficiais da Suíça que é um país com uma área comparável a área do estado do Rio de Janeiro.

Após o filme partimos para o jantar no tal Zunft zu Webern. Lá conhecemos melhor a Lena que é  muito bonita e fala inglês muito bem. Se não soubéssemos que ela era irmã do Michael ela poderia se passar como americana tranquilamente. Toda essa fluência deve-se, em grande parte, ao fato de um intercâmbio que ela fez em Michigan, nos Estados Unidos, durante o ano de 2001.

Esse foi o ano em que os ditos ataques terroristas às torres gêmeas do World Trade Center aconteceram. Ela estava se preparando pra ir conhecer Nova York quando a catástrofe se desenrolou. Segundo ela, o país estava num caos generalizado… Todos os voos comerciais estavam proibidos de decolar.

Da esquerda pra direita: Cristina, Michael, Lena, Gustavo e Renato no restaurante Zunft zu Webern

O jantar em si estava ótimo assim como o papo e a atmosfera de descontração e despedida. Gustavo e eu comemos um Saurer Mocken mit Kartoffelstock que basicamente é carne assada com um purê de batatas. Acho que eles sugeriram esse restaurante e esse prato porque havíamos comentado com eles o quanto um prato com carne de vaca é trivial no Brasil ao contrário do que percebemos na Europa onde é difícil de achar um prato com bife e quando achamos normalmente é bem caro…

Berna foi disparado o lugar que melhor comemos nessa viagem cheia de junk-food! Tem uns vídeos desse jantar no youtube.

Agora com o jantar na mesa. Zunft zu Webern em Berna.

No final das contas a comilança ficou por conta dos anfitriões. Michael e Cristina racharam a conta e pagaram tudo. Até o da Lena saiu de graça! Nossa intenção era pagar mas eles disseram que já estava nos planos deles fazer mais esse agrado.

Depois do jantar, nos despedimos da Lena e fomos, os quatro, de volta pro ap do Michael. Descansamos pois no dia seguinte acordaríamos cedo pra ir pra Paris.

Berna, 5 de Março 2010

Michael e Cristina nos levaram para a estação de trem de Berna (SBB Bern Bahnhof) e na despedida aquela promessa de que eles vão pintar aqui no Brasil em breve. Já deixei avisado que pra eles é melhor vir entre Abril e Setembro quando as temperaturas são menos absurdas. Eu que nasci aqui no Rio não aguento o calor que tem feito nos últimos anos… Que dirá eles!

Viagem tranquila e rápida no nosso segundo trem bala da viagem. Pegamos o TGV Lyria em Berna e descemos na Gare de Lyon, em Paris, em mais ou menos 3 horas. Gustavo conseguiu fazer um vídeo no momento exato em que a equipe do TGV anuncia em francês, inglês e alemão que estamos cruzando a fronteira entre a Suíça e a França.

Já em Pamfou, cidadezinha próxima a Paris, registramos o TGV à 268km/h! Rápido não?! Ambos os vídeos podem ser assistidos em full hd!

O sol estava brilhando na capital francesa o que, definitivamente, não significa que estava calor 🙂 Tínhamos mais 2 dias antes de encerrar a jornada européia de número 1. Vamos aproveitar!

Abcs,

Renato Vieira

Veja também:


  voltar à página inicial