Contos de viagem, dicas, vitórias e derrotas

 
 

Paris – Primeiro dia em família

pelo mochileiro , em

 

22 de Novembro de 2017

Dando sequencia a história dessa viagem…

Do aeroporto Charles de Gaulle fomos até a Rue du Faubourg Montmartre, no nono arrondissement, (falo aqui sobre os bairros de Paris) onde tínhamos um apartamento reservado via Airbnb. Ainda era cedo, cerca de 9AM quando chegamos, e a entrada no apê deveria ocorrer somente na parte da tarde.

Sabendo que chegaríamos cedo, ainda no Brasil contatamos a proprietária do apartamento, dona Mathilde, para ver se dava para adiantar o check-in ou pelo menos deixar as malas enquanto fazíamos algo na cidade.

Num primeiro momento, a proprietária, que mora logo em cima do apê que aluga, nos disse que haveria hóspedes de saída e nesse caso a opção de entrar mais cedo não seria possível. Como contrapartida, ela disse que, quando chegássemos, poderíamos tomar café na casa dela, tomar banho e até dar uma descansada enquanto o apartamento era preparado para nós. Respondemos que essa opção já seria uma grande ajuda e ficamos contentes com a primeira impressão que tivemos dela!

Chegando lá aconteceu melhor do que imaginamos: Por algum motivo o apartamento já estava pronto pra gente e Mathilde nos recebeu com pães frescos recém comprados na boulangerie ao lado! Além dos pães, havia duas barras de chocolates e incontáveis cápsulas de Nespresso que duraria por toda a estadia! Isso sim é o que eu chamo de recepção! 🙂

Mathilde, que foi uma das melhores hosts que tivemos desde que começamos a usar o airbnb, rapidamente nos mostrou o apê e depois nos deixou à vontade para descansar! Recomendo muito o apê dela. A Rue du Faubourg Montmartre é extremamente conveniente. Para comer tem boulangeries, brasseries, mercados (carrefour & monop’), pizzarias, restaurantes, creperias (sim, até aqui tudo no plural mesmo), chocolateria, Piccard (tradicional loja de comida congelada).

Nessa rua também tem alguns hotéis e nas proximidades há pelo menos 4 estações de metrô de linhas diferentes com destaque para a estação Grand Boulevards que fica na esquina da Rue du Faubourg Montmartre com a Boulevard Poissonnièrie.

Apesar do grande movimento, o apê é extremamente silencioso pois fica no quinto andar de um prédio com elevador!

Le Bouillon Chatier

Logo depois que tomamos café da manhã, caímos num sono restaurador que foi das 10:30 até as 15hs! Na sequência, saímos para comer ali na rua mesmo, distante 200 metros, num restaurante centenário chamado Chatier, seguindo recomendação da nossa host Mathilde!

Lá fomos muito bem atendidos! Arranhei meu pobre francês mas sempre que rateava o garçom tranquilamente cambiava para o inglês! rsrs

A comida do Chatier é simples e muito boa (sem requintes, sem frescura). O preço era baixo para os padrões de Paris e as instalações bonitas, naquele estilo bem clássico!

O restaurante serve comida quente das 11AM até as 10PM e não precisa de fazer reservas. Comemos lá nesse nosso primeiro dia e algumas outras noites depois tentamos voltar mas o tamanho da fila inviabilizava! Era incrível! Todas as noites quando acabávamos de “turistar” passávamos na frente do Chatier em direção ao nosso apê e sempre havia fila!

Depois acabamos descobrindo que o Chatier foi fundado em 1896 e desde 1989 é considerado local histórico de Paris!

Torre Eiffel Iluminada

Por conta do cansaço, não tínhamos grandes ambições de explorar a cidade nesse primeiro dia de viagem. Por outro lado, chegar em Paris e não ver a Torre Eiffel seria um vacilo, principalmente com Amandinha que esperou tanto por esse dia! rsrs Sendo assim, ver a Dama de Ferro era o único compromisso turístico que tínhamos planejado!

Saímos do restaurante e fomos andando em direção ao metrô. No caminho, dentre as incontáveis e chamativas vitrines transbordando guloseimas francesas, havia uma com coloridos macarons expostos! Era a Boulangerie Jean Nöel Julien na Rue Provence, ainda bem pertinho de casa e do Chatier …. Acabamos fazendo uma pequena pausa antes de prosseguir hehe

Vai um macaron aí?

Chegando no Trocadero, lá estava ela! Imponente como sempre! Dominando o horizonte! Fica especialmente bonita a noite quando iluminada! Agora sim, podíamos dizer que chegamos em Paris!

Nós três e a Torre

Bagunça no Trocadero

Amanda, eu e a Torre Eiffel

Eu, Bea e a Torre Eiffel

A Torre e o Rio Sena

Tem mais no próximo post!

Abcs

Renato Vieira