Canal de Saint-Martin, Marché Popincourt e Les Halles

pelo viajante , em

 

Paris, 6 de Julho de 2012,

Canal de Saint-Martin

Começamos o dia indo de metrô até a estação Oberkampf  pra mais um lugar inédito pra mim em Paris: O Canal de Saint-Martin. Fomos de metrô porque eu dei mole. Até chegar lá eu não tinha muita noção da distância. Dava pra ter ido de Velib tranquilamente…

Ouvi falar no Canal de Saint Martin pela primeira vez num programa de televisão. Depois descobri também que o Canal de Saint Martin aparece rapidamente num filme maneiríssimo que assisti chamado Le fabuleux destin d’Amélie Poulain mas eu não lembrava dessa cena específica

O canal é ponto de encontro de jovens parisienses e de um tempo pra cá vem sendo descoberto pelos turistas que ficam mais tempo em Paris e já viram os pontos mais batidos da cidade.

Construído por Napoleão em 1802 com o intuito de levar água limpa para a cidade, o Canal de Saint Martin hoje reúne uma galera que senta em suas margens pra papear e fazer picnic. Chegamos lá por volta das onze horas da manhã e o canal estava bem tranquilo ainda com pouca gente. Imaginamos que a maioria dos frequentadores deve mesmo chegar lá à tarde … talvez a partir das 14hs…

Canal de Saint-Martin

Canal de Saint-Martin

Canal de Saint-Martin

Canal de Saint-Martin

Quai de Jemmapes, margem do Canal de St-Martin

Hôtel du Nord

O Hôtel du Nord ficou famoso por causa de um filme de mesmo nome lançado em 1938. Hoje, além de ponto turístico, é um bar / restaurante muito bem recomendado na região.

Hôtel du Nord

Placa falando dos filmes e da atmosfera do bairro

placa falando dos filmes e da atmosfera do bairro

Marché Popincourt,

Depois de andar pouco pela região do Saint Martin e tirar algumas fotos, fomos descendo o Canal a pé pela da Boulevard Jules Ferry até ela se transformar em Boulevard Richard-Lenoir onde encontramos, por acaso, o Marché Popincourt, tradicional feira da região. O Marché Popincourt é similar mas menor que a feira de Waterloo que visitamos em Amsterdam.

A parada na feira não esta nos nossos planos, mas acabamos parando um pouco pra olhar e comer um crepe muito bom de nutela com coco ralado! Ontem já tínhamos comido um em Saint-Germain e acabamos ficando viciados nesse sabor! rsrs

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

Le Marché Popincourt na Richard-Lenoir

A essa altura do campeonato já não usava com tanta frequência a tradicional pergunta de sobrevivência “S’il vous plait, parlez vous anglais?”. Tento falar o básico do básico como o nome do que quero e a quantidade e tal… O bonjour e o merci também acompanham… rs Assim, quase que franceses, pedimos nosso crepe e comemos enquanto olhávamos o resto da feira. Já prometi aqui que na volta ao Brasil entro no curso de francês pra começar a dar uma variada nesse meu repertório super limitado! 🙂

Pedalada até a Bastille

Pegamos a Velib novamente e fomos descendo a Richard Lenoir até a Place de la Bastille onde tiramos umas fotinhos rápidas por esse já ser um lugar batido. Foi nessa hora que percebi que eu tinha dado mole de ter ido até o Canal de Saint Martin de metrô como citei no início desse post. Não é super perto mas é uma pedalada legal… Do Marché Popincourt até a Bastille por exemplo foram apenas 1,5Km de bike…

Digo que a Bastille é um lugar batido pois passamos por ela praticamente todos os dias… Nosso albergue fica muito próximo… Apesar disso, vi que nunca escrevemos nada sobre a importância do lugar. Acontece o seguinte: A Bastille é tão importante, mas tão importante que o principal feriado nacional da frança, o sete de Setembro deles (que é 14 de Julho…rs), se chama Dia da Bastille.

Em 14 de Julho de 1789 revolucionários parisienses invadiram uma antiga prisão que existia onde hoje é a praça e simplesmente a  destruíram em um dos momentos-chave da revolução francesa. As marcas no chão onde antes existiam os muros da fortaleza ainda podem ser vistas por quem passa no grande largo. A revolução francesa marcou o início da primeira república por aqui e o fim de anos de dominação monarca absolutista. Muitas cabeças rolaram por conta da guilhotina que na Place de la Concorde, decapitou inclusive o então Rei Louis XVI e a rainha Marie-Antoinette.

Place de la Bastille

Super zoom no monumento da Bastille

Almoço no Les Halles

Quase vinte dias de viagem e Aline estava começando a surtar por falta de comer uma boa carne e um bom feijão. Por aqui é muito difícil de achar e quando achamos é um absurdo de caro. Acabou que decidimos comer um baldão de frango no KFC do Les Halles onde Gustavo e eu comemos algumas vezes quando viemos em 2010. O Les Halles é uma área muito viva e popular de Paris, próxima ao Louvre e ao Pompidou, com muita gente indo e vindo por causa das lojas e das estações de RER e metrô. Quando chegamos a Paris há alguns dias atrás foi na estação Châtelet-Les Halles que fizemos transferência do RER pro metro.

Nénem tomando sorvete no KFC na nossa frente 🙂

Fim da Saga da nota de Cem Euros

Na FNAC do Forum Les Halles finalmente consegui usar minha nota de 100 euros costurada! Compramos um tripé pra colocar no lugar do que quebramos em Viena! Dois alívios em uma compra só! 🙂 O vendedor viu que a nota não estava perfeita e foi perguntar pro gerente que acabou aceitando o pagamento com a nota. No dia anterior eu quase tinha conseguido usar a mesma nota na GAP da Rue du Faubourg-Saint-Antoine mas o vendedor no final não quis aceitar e acabei usando outro dinheiro.

Conto a outra parte do dia no próximo post.

Até mais,

Renato Vieira

Veja também:


  Categorias Paris

  Palavras-chave , ,

Veja também...

  voltar à página inicial