Tram – O bondinho do Velho Mundo

pelo viajante , em

 

Os bondinhos foram, no passado, um meio de transporte muito importante aqui no Rio de Janeiro. O crescimento da cidade, o aumento do fluxo de carros e a maior demanda por velocidade e agilidade praticamente extinguiu esse tipo de transporte por aqui, restando apenas o bonde de Santa Teresa.

Mesmo este último remanescente teve sua circulação suspensa depois do trágico acidente ocorrido em Agosto de 2011, deixando um sentimento de vazio  e revolta nos moradores e frequentadores do bairro. Hoje, mais de um ano depois, o poder público ainda não foi capaz de trazer novamente à circulação este símbolo carioca.

A propósito, existem projetos de implementação de um novo sistema de bondes VLT no centro da cidade. Escrevi sobre isso no outro blog.

Mas… vamos parar de falar de Rio… Afinal, esse blog é sobre Europa! rs

Tram no Velho Mundo

Muitas cidades europeias ainda conservam seus bondinhos circulando em seus centros históricos. Esses charmosos veículos elétricos, chamados de tram na maioria das vezes, são um convite a tirar o pé do acelerador, pegar leve e aproveitar a vista de suas janelas.

Apesar disso, de maneira nenhuma os trams são puramente turísticos ou um atraso de vida. Pelo contrário, eles são um bom complemento para uma malha de transporte eficiente.

Em algumas cidades como Lisboa, Milão e Praga você provavelmente usará trams antigos… Bem naquela linha retrô mesmo. Já em Berna, Zurique e Amsterdam, circulam bondinhos modernos e confortáveis que dão um contraste bacana com a arquitetura mais antiga dessas cidades. Durante nossas expedições na Europa até aqui, fotografamos e filmamos alguns desses bondinhos. Além das imagens, vamos compartilhar algumas histórinhas curtas de cada um deles neste post.

Tram de Amsterdam

Começamos pelo bonde azulzinho de Amsterdam que foi o primeiro que pegamos na Europa na nossa primeira eurotrip em 2010. Por ainda não saber usar perfeitamente, já andamos nesse bonde sem pagar nada. Também flagramos um acidente envolvendo um tram e um ciclista na minha segunda passagem pela cidade no meio de 2012.

Tram Amsterdam Centraal

Gustavo, Guilherme e o tram na Amsterdam Centraal 2010

Tram Amsterdam 2012

O tram e eu na volta à Amsterdam em 2012

Acidente tram Amsterdam 2012

Acidente tram Amsterdam 2012

Tram de Zurique

Assim como em Amsterdam, o tram de Zurique é o principal meio de transporte público dentro da cidade. Na nossa passagem pela capital financeira da Suíça em 2010, pegamos um desses bondes pra ir da Estação de trem Zurich HB para o albergue da juventude Jugendherberge Zürich. Além disso, para ir até a sede da FIFA que fica na parte alta da cidade, também usamos o veículo.

Uma coisa que pra nós na época foi surpresa foram os painéis nos pontos dos trams indicando em quanto tempo o próximo bonde chegaria. A precisão era impressionante!

Tram passando na frente da Zurich HB

Tram passando na frente da Zurich HB

Painel horários na Albisstrasse

Painel horários na Albisstrasse

Tram Zurique

Dentro do Tram em Zurique voltando da FIFA

Dentro do Tram em Zurique voltando da FIFA

Dentro do Tram em Zurique voltando da FIFA

Vídeos de dentro do tram de Zurique aqui.

Rubro Negro de Berna

O bonde de Berna é um dos mais bonitos que vimos na Europa. Todo em vermelho, com detalhes em preto lembrando o grande Clube de Regatas do Flamengo! rs Brincadeiras a parte, o tram de Berna faz um contraste legal com as cores predominantemente opacas da cidadezinha medieval. A foto que tiramos do bonde foi em 2010 mas só andamos nele quando voltamos a cidade em 2011.

Tram em Berna perto da Torre Käfigturm na Marktgasse

Tram em Berna na Torre Käfigturm na Marktgasse

Barulhento de Milão

Depois de uma sequencia de trams modernos eis aqui o primeiro bonde velhinho que andamos na Europa. Não só velhinho como bem barulhento. Ficamos hospedados no albergue Hotel San Tomaso na Viale Tunisia. A janela do nosso quarto dava pra rua onde aquele monte de ferro circulava até as duas horas da manhã. Ficava difícil dormir antes desse horário com tantos ruídos. 🙂

Pra variar um pouquinho, quando chegamos na cidade vindos de trem de Roma, pegamos um desses bondes de graça da estação de trem Milano Centrale até o albergue. Fomos surpreendidos quando entramos no tram e o motorneiro simplesmente não aceitava dinheiro mas também não nos expulsou do veículo. Depois descobrimos que os bilhetes de bonde eram vendidos em qualquer uma das várias tabacarias espalhadas pela cidade.

Bonde velhinho de Milão na Viale Tunisia

Bonde velhinho de Milão na Viale Tunisia

Bonde velhinho de Milão na Viale Tunisia

Bonde velhinho de Milão na Viale Tunisia

Elétrico de Lisboa

Em Lisboa nos deparamos com o bondinho que inspirou o nosso bondinho de Santa Teresa. Aliás, logo depois do acidente que citei no início do post, o governo do Estado do RJ enviou uma comitiva pra ver como a Carris administra os bondes de Lisboa e buscar algum tipo de cooperação técnica para restaurar o bondinho carioca. Até o momento, como sabemos, nada saiu do papel…

Os patrícios chamam o bondinho de “Elétrico”. O mais famoso deles é o “Elétrico 28” que faz quase que um tour completo pelos pontos turísticos mais importantes da cidades. Nos nossos escassos dois dias na capital portuguesa, usamos o elétrico para ir e voltar de Belém, onde visitamos a Torre de Belém, o Mosteiro dos Jerônimos, o Padrão dos Descobrimentos e a tradicional Pastéis de Belém.

Voltando de Belém no Elétrico

Voltando de Belém de Elétrico 15 na Avenida 24 de Julho

Dentro do Elétrico

Dentro do Elétrico 15 em Lisboa

Bonde Elétrico de Lisboa

Bonde Elétrico 15 na Avenida 24 de Julho em Lisboa

Placa Elétrico na Av 24 de Julho

Placa Elétrico na Av 24 de Julho… sem a modernidade de Zurique…rs

Elétrico Carris na Rua da Conceição

Elétrico Carris na Rua da Conceição

Elétrico Carris na Rua da Conceição

Elétrico Carris na Rua da Conceição

No youtube também publicamos alguns vídeos desses bondes na Sé e um trecho do passeio dentro do elétrico voltando de Belém.

Fantasiados de Bruxelas

Em Bruxelas não andamos de tram. Entretanto, as cores de alguns dos bondinhos da cidade nos chamaram atenção… Eles eram cobertos de propaganda de cima a baixo… Já a linha que circula perto do Atomium era mais sóbria. rs

Tram da Fanta próximo ao Palais Royal em Bruxelas

Tram da Fanta próximo ao Palais Royal em Bruxelas

Tram próximo ao Palais Royal em Bruxelas

Tram próximo ao Palais Royal em Bruxelas

Tram próximo ao Atomium de Bruxelas

Tram próximo ao Atomium de Bruxelas

Tram Café de Praga

Em Praga os trams são antigos e pixados. Na Václavské náměstí (Praça São Venceslau), próximo a estação de metrô Mustek, existem dois trams que hoje servem como um Café! Também filmamos um trecho andando no tram da capital tcheca.

Dentro do tram 22 em Praga

Dentro do tram 22 em Praga

Tram próximo a Jindřišská věž (Torre de Saint Henry)

Tram próximo na Jindřišská

Tram 22 na Újezd, próximo ao Petrin Hill

Tram 22 na Újezd, próximo ao Petrin Hill

Tram Café na Václavské náměstí

Tram Café na Václavské náměstí

Tram Café na Václavské náměstí

os bondes que viraram Cafés na Václavské náměstí

Quentão de Viena

Em todos os posts que escrevi sobre Viena reclamei do calor. No interior dos trams não era diferente. Sofríamos nós e os locais naquela marmita ambulante! rs Um dos dias em que assamos ops … entramos nos bondes da capital austríaca foi quando visitamos o Belvedere e o Schloss Schönbrunn. Para piorar ainda mais a situação nesse dia pegamos o bonde no sentido errado. Resultado: Mais tempo dentro do forninho!

Tram de Viena próximo ao Sigmund Freud Park

Tram de Viena próximo ao Sigmund Freud Park

Flagramos o cara suando no tram de Viena

Calor no tram… Não era exagero meu…rs

É isso! Até mais! Feliz 2013!

Renato Vieira


  Categorias Curiosidades

  Palavras-chave

Veja também...

  voltar à página inicial